Minha lista de blogs

sábado, 22 de janeiro de 2011

TORTURA




Passo no tempo
Feito um momento 
Despercebido, 
Um sonho proibido... 
O qual insisto 
Escondido, 
Em teimosamente 
Continuar!!!...


Willian Marques - 27/12/2010.
        wmo@oi.com.br

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

MODERNIDADE


Ontem,
Fazia-se amor
Sem falar em
Sacrifícios!...
Hoje faz-se sacrifícios,
Porque é quase
Impossível
Falar de
Amor!!!...


Willian Marques – 05/03/93.
          wmo@oi.com.br 

INCOMPLETO

                                                                                     
















Sou um poeta sem poesia,
E às vezes riso sem alegria.
Às vezes verso sem fantasia,
Eu sou saudade sem nostalgia.

Sou um poema sem verso e prosa,
Sou vendaval sem ventania.
Sou sem roseira espinho e rosa,
Sou solidão sem noite fria.

Sou desespero sem gritaria,
Sou abandono sem agonia.
Tranqüilidade sem calmaria,
Eu sou braveza sem valentia.

Sou falta de ar sem asfixia,
Barco sem leme e cego sem guia.
Floresta sem árvore e alma vazia,
Sou só sem você, sem noite e nem dia.


Willian Marques – 30/03/2010.
           wmo@oi.com.br

NO ESQUECIMENTO



Vou tirá-la de mim
Sem espanto,
Vou correr atrás
Da alegria.
Vou deixá-la encostada
Num canto,
Vou viver outra vez
Fantasia.

Não vou mais te lembrar
Noutras águas,
Nem querer-te o sorriso
De outrora.
Apaguei-te os resquícios
De mágoas,
E a saudade de ti
Foi-se embora.

Vou sonhar como que
Em nostalgia,
Vou sorrir sem traçar
Nenhum plano.
E pensar que por ti
Morreria...
É passado
E ledo engano!!!...



Willian Marques – 09/01/2011.
          wmo@oi.com.br

FRUSTRAÇÃO

É arrasador sentir-se
Tão vivo e tão jovem...
E deparar-se com um
Homem velho e
Ultrapassado diante
Do espelho!!!...



Willian Marques – 09/12/2010.
           wmo@oi.com.br

SOZINHO

Uma noite
Sem você,
É eternidade...
Uma noite
De saudade
É um mergulho
Profundo nas
Mais densas
Trevas de
Uma solidão
Sem fim!!!...



Willian Marques – 02/11/2010.
           wmo@oi.com.br

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

PAPEL

Rasgaram-se os
Nossos sonhos e
Nossa esperança
Está rasurada...
Não há como apagar
Os erros,
Já não dá pra escrever
Mais nada!
Pois somos ricos de
Uma escrita cega...
E uma leitura
Analfabetizada!!!...


Willian Marques – 03/09/94.

NUDEZ


A rua estava
Limpa e deserta,
Porém, todas as
Portas e janelas
Estavam abertas,
Todas indiscretas!...
Mas nunca soubemos
Entender o que víamos,
E o que ouvíamos
Nunca interpretamos
Sabidamente!!!...

Willian Marques – 05/09/92.
         wmo@oi.com.br

domingo, 2 de janeiro de 2011

SINTONIA

Eu te escrevo
Em poesias repetidas,
Para rimar o seu amor
Com nossas vidas.

Eu te escrevo
Em cantigas já cantadas,
Para rimar destino seu
Com minha estrada.

Eu te escrevo
Em versos turvos de silêncio,
Para rimar palavras suas
Com o que penso.

Eu te escrevo
Em reticências e saudades,
Para rimar sua lembrança
E minha verdade.

Eu te escrevo
Em versos simples de carinho,
Para rimar seu caminhar
Com meu caminho.

Eu te escrevo
Em linhas tortas de segredo,
Para rimar sua intimidade
E meu enredo.

Eu te escrevo
Em poesias sem cansaço,
Para rimar o corpo seu...
Com meu abraço!!!...


Willian Marques – 25, 26/05/2010.
              wmo@oi.com.br

SEM CHANCE



Eu poderia
Te amar sem medo,
Se houvesse
Tempo e inda fosse
Cedo, sem restar
Lamentos por abrir
Segredos.

Eu poderia
Te amar sem medo,
Se houvesse
Vida e houvesse
Enredo, com
Sabedoria
Pra entender-lhe
O “grego”.

Eu poderia
Te amar sem medo,
Se eu fosse
Livre para o seu
Chamego,
E um amor que vive
Alimentando
Apego.

Eu poderia
Te amar sem medo,
Se o amor
Que tive não
Partisse cedo...
Te levando
Embora do meu
Aconchego.


Willian Marques – 17/02/2010.
            wmo@oi.com.br

MINH'ALMA


Caminho
Em
Caminhos tortos,
Pisam os
Meus pés
Passos
Em falso...
Sigo
Mendigando
Migalhas de ilusão
Em esmolas
De carinho,
Fantasias mortas
Que só
Me trazem
O sonho
De ter o
Seu amor.
O seu sorriso...
Meus conflitos,
Minha aflição...
Tudo enfim,
Numa única
Perturbação
Pra
Toda vida!
Sem paz,
Sem solução...
Sem socorro
E sem
Saída!!!...


Willian Marques – 05/03/2010.
              wmo@oi.com.br

RECIPROCIDADE












Só quem dá um amor maduro,
Recebe de volta um amor mais puro.

Só quem dá um amor sincero,
Recebe um amor que tira o sério!

Só quem dá um amor apaixonado,
Recebe de volta um amor ousado!

Só quem dá um amor com sede,
Recebe um amor além das paredes!

Só quem dá um amor mais farto,
Recebe um amor infinito no quarto.

Só quem dá um amor de quem ama,
Recebe um amor além da cama!!!...


Willian Marques – 05/11/2006.
             wmo@oi.com.br

sábado, 1 de janeiro de 2011

TEMPO



Cinco segundos pra olhar a noite,
Cinco minutos pra ficar a sós.
Cinco momentos pra viver aos poucos,
Cinco segundos pra falar de nós.

Cinco mil anos pra se evoluir,
Cinco segundos pra desmoronar-se.
Cinco mil horas para se ajuntar,
Cinco segundos para separar-se.

Cinco segundos pra chorar os prantos,
Cinco minutos pra secar suas águas.
São meia hora destilando encantos,
E um milênio enxugando as mágoas.

Cinqüenta horas para estar deitado,
Cinco minutos para estar de pé.
São nove meses dentro de um ventre,
Pra em dois segundos só chamar-se “Zé”.

Cinqüenta anos esperando chuva,
Cinco minutos pra fazer calor.
São três minutos para a madrugada,
E um segundo pra fazer amor.

Somente uns anos para se viver,
Alguns segundos para o que reclamo.
Quinze minutos pra ficar calado,
Duzentos meses pra dizer: Te amo!

Vinte segundos para ficar louco,
E uma vida toda a se normalizar.
Alguns segundos pra morrer aos poucos,
Em mil lembranças pra se suicidar!...

Vinte e cinco horas pra sentir a brisa,
Vinte e seis segundos pra olharmos nós.
Dezesseis minutos pra abrir a boca,
E uma eternidade pra calar a voz!!!...

Willian Marques – 02/06/86.
           wmo@oi.com.br

SE...

Se todos os momentos
Fossem como antes,
Tão certos e
Inebriantes,
Não estaríamos cegos
E nem errantes,
Nem vacilantes nossos
Passos seriam!...
Se todos os sentimentos
Fossem incessantes,
Tão completos e
Vivificantes,
Não seríamos duros e
Nem obscuros nossos
Corações bateriam!...
Se todos os lamentos
Fossem como antes,
Tão curtos e
Gratificantes,
Não seríamos tão sérios e
Arrogantes,
Nem ignorantes nossos
Pés andariam!...
Se todos os momentos
Fossem como antes,
Tão carinhosos e
Aconchegantes,
Não estaríamos sós e
Choramingantes,
Mas nossos corações tão
Sofridos antes,
Neste exato instante
Se dariam!!!...


Willian Marques – 23, 25/06/95.  
          wmo@oi.com.br